faq

1 – Como Chegar?

Lisboa, Porto e Faro são os aeroportos internacionais que servem Portugal Continental. Destes aeroportos é o de Lisboa que acolhe a maioria dos voos intercontinentais.

Existem também comboios internacionais que ligam Porto e Lisboa a cidades como Paris, Bayonne e Madrid.

2 – Como vou para Chaves e como regresso de Faro?

A organização irá providenciar um transfer de autocarro associado ao transporte da bicicleta de Lisboa e do Porto para Chaves no dia 03 de Junho e de Faro para Lisboa e Porto no dia 9 de Junho.

Este transfer poderá ser adquirido pelo atleta como extra juntamente com a sua Inscrição.

O regresso de Faro poderá ser feito de avião caso o atleta opte por essa opção de regresso.

A ida para Chaves e regresso de Faro pode também ser feito com recurso a viatura própria caso seja essa a opção do participante, desde que seja assegurada por ele ou por alguém a deslocação dessa viatura do início até ao final do evento.

3 – Como me posso inscrever? Que modalidades de inscrição há?

As inscrições serão efectuadas em exclusivo no site oficial da prova. Os participantes podem inscrever-se optando por adquirir o camado “PACOTE BASE” que inclui apenas a participação na prova com todo o enquadramento organizativo (organização desportiva e logística do evento, reabastecimentos, refeição de reposição no final de cada etapa, assistência mecânica, assistência médica durante as etapas) ou no “PACOTE STANDARD” que inclui ainda alojamento em regime de meia pensão em hotéis de 3 e 4 estrelas no início e final de cada uma das cinco etapas. A qualquer um destes pacotes pode juntar a aquisição de vários serviços extra, como os transferes de pessoa e bicicleta para Chaves e de Faro e massagens.

Para a subscrição de upgrades e outros serviços personalizados como: estadias em unidades de alojamento de segmentos superiores, transferes personalizados, noites extra, assistência mecânica personalizada, serviço de massagens personalizado e serviço de transporte e programas turísticos para acompanhantes, devem ser contactados os Operadores Turísticos Oficiais

4 – Qualquer pessoa pode participar?

O Ride Across Portugal é um evento aberto a todas as pessoas que tenham data de nascimento anterior a 3 de Junho de 2000 (ou seja que possuam à data do início do evento uma idade igual ou superior a 18 anos) federadas ou não federadas e cuja aptidão para participar num evento desta natureza seja confirmada por um atestado médico ou pela sua licença federativa devidamente atualizada.

5 – Então preciso de um atestado médico para participar?

Sim, os participantes necessitam de apresentar um documento assinado por um médico (minuta deste documento a disponibilizar em breve no site oficial) atestando a sua aptidão física para participar num evento por etapas com as características do Ride Across Portugal. Todos os atletas que sejam portadores de uma licença UCI, não necessitam de apresentar este documento já que a sua licença já tem como pressuposta a validação médica para a prática do ciclismo, incluindo a participação neste tipo de eventos.

6 – O Ride Across Portugal é uma competição?

Não, o Ride Across Portugal é um evento de cicloturismo por etapas, onde cada atleta anda ao seu próprio ritmo, cumprindo escrupulosamente as regras de trânsito e salvaguardando sempre a sua segurança e a dos restantes utilizadores da via publica. No entanto haverá em cada etapa, troços devidamente identificados e comunicados pela organização aos atletas onde os tempos dos atletas serão cronometrados, sendo depois publicados numa lista no final de cada etapa.

Existirão também pontos de passagem (“pit stops”) coincidentes ou não com zonas de reabastecimento, onde os atletas poderão ter de fazer paragens breves mas obrigatórias.

7 – Poderei levar carro de apoio?

Não serão permitidos carros de apoio a circular entre os ciclistas durante as etapas. Serão definidas áreas junto às zonas de reabastecimento onde os acompanhantes poderão assistir à passagem dos participantes e fornecerem-lhes algum tipo de apoio. No entanto esta presença terá sempre de ser aprovada pela organização salvaguardando a segurança, o bom funcionamento dos reabastecimentos e a fluidez de passagem dos atletas nestas zonas.

8 – Mas poderei levar acompanhantes?

A organização irá salvaguardar um número limitado de lugares nas unidades de alojamento para acolher acompanhantes. Estes, no entanto, terão de se deslocar durante as etapas por meios próprios, salvaguardando sempre o exposto na questão anterior (proibição de circulação de viaturas estranhas à organização entre os atletas e apoio dinâmico nas etapas). A organização facultará algumas indicações de carácter turístico de modo a apoiar os acompanhantes no planeamento dos dias do evento nomedamente nos pontos de potencial interesse turístico ao longo do percurso.

Para a subscrição de serviços de transporte e programas turísticos para acompanhantes, devem ser contactados os Operadores Turísticos Oficiais.

9 – Há Prémios?

Todos os participantes terão incluídos no custo da sua inscrição:

  • - Uma jersey oficial do evento
  • - Uma medalha oficial de participação no Ride Across Portugal
  • - Uma camiseta (polo) oficial de participação no Ride Across Portugal

No final de cada etapa, o atleta masculino e a atleta feminina mais rápidos a cumprir os troços cronometrados, receberão um troféu correspondente ao título de “Rei da Etapa” e “Rainha da Etapa”. No final da ultima etapa, serão entregues ao atleta masculino e à atleta feminina mais rápidos na soma das 5 etapas, troféus e jerseys oficiais correspondentes aos títulos de “Rei do Ride Across Portugal 2018” e “Rainha do Ride Across Portugal 2018”.

10 – Como é transportada a minha bagagem entre as etapas?

Incluída na inscrição de cada atleta está também a oferta de um saco de viagem personalizado com o logo do evento, cuja utilização será obrigatória para todos os participantes. Será apenas este saco que a organização assegura o seu transporte em cada etapa do hotel de partida para o hotel de chegada.

11 – Haverá material ou equipamento obrigatório?

Sim, no momento da acreditação da prova será obrigatória a apresentação de algum material ou equipamento a anunciar pela organização. No início de cada etapa, dependendo de algumas condicionantes, entre elas as de origem climatérica, poderá ser igualmente obrigatória a apresentação de material e equipamento que a organização considere necessários para efectuar em segurança essa mesma etapa.

12 – O percurso de cada etapa é sinalizado no terreno?

Haverá alguma sinalética (mínima) ao longo do percurso, sobretudo em zonas mais urbanas e noutras que sejam identificadas pela organização como zonas em que a orientação necessite de ser apoiada por sinalética no terreno. No entanto em termos de orientação será o GPS a ferramenta aconselhada para efectuar em segurança e com fiabilidade a totalidade do percurso de cada etapa.

13 – É então obrigatório o uso do GPS?

Não é obrigatória, mas é fortemente aconselhada a utilização do GPS para efectuar sem erros o percurso de cada etapa. No entanto um participante pode optar por andar sempre junto a outro companheiro e assim achar que pode prescindir de usar o aparelho de GPS.

14 – Quantos reabastecimentos há em cada etapa e que tipo de alimentos poderão ser encontrados nestas áreas?

Haverá 2 ou 3 reabastecimentos, conforme a distância ou o nível de dificuldade de cada etapa. Em cada um deles haverá alimentos de ingestão rápida como sandes, fruta fresca, frutos secos, biscoitos, água, sumos e bebida isotónica.

Para além dos reabastecimentos ao longo do percurso haverá no final de cada etapa uma refeição volante de recuperação.

15 – Haverá serviço de massagens?

Sim, haverá uma equipa de massagistas no final de cada etapa que disponibilizará uma massagem de 15 minutos a cada atleta que contratar este serviço. Este serviço (pacote de massagens) pode ser contratado pelo participante como extra no momento da sua inscrição.

16 – Há assistências mecânicas?

Sim, durante as etapas haverá algumas equipas de assistência mecânica que circularão entre os atletas e que procurarão resolver os problemas possíveis de solucionar numa dinâmica de evento como este. Estão excluídas do âmbito do trabalho destas equipas intervenções básicas como a resolução de furos e outras intervenções menores que terão de ser resolvidas pelos participantes que terão de salvaguardar o bom estado da bicicleta e dos seus componentes antes da partida para cada etapa e assegurar também o transporte e a manipulação de material de substituição e de reparação como câmaras-de-ar e bomba durante as etapas.

17 – Há assistência médica?

O evento é enquadrado por uma equipa médica que se deslocará ao longo do pelotão procurando dar apoio às situações de urgência que poderão suceder em cada dia.

18 – Os participantes são cobertos por algum tipo de seguro?

Sim, todos os participantes serão cobertos por um seguro de acidentes pessoais, contratado pela organização para o evento, cumprindo as normas e as coberturas obrigatória para este tipo de eventos.

Não me sinto fisicamente preparado para um desafio destes, mas gostaria de participar em equipas de dois elementos, permitindo assim dividir o esforço de cada etapa por dois atletas. Esta vertente está contemplada?

Sim, uma das novidades desta 2ª edição do Ride Across Portugal, é a possibilidade de participar em equipas de dois elementos. Os participantes poderão inscrever-se na modalidade de “duplas”, dividindo o percurso de cada etapa pelos dois atletas (estafeta), sendo a transição efetuada num local e numa janela de tempo a definir pela organização para cada uma das etapas.

Os preços da inscrição para os participantes em duplas, é o mesmo da participação normal.

Os participantes em duplas terão de se deslocar durante as etapas por meios próprios, (do início da etapa para o local de transição e deste ponto para o final da etapa, salvaguardando sempre o regulamento da prova em especial no que se refere à circulação de viaturas estranhas à organização entre os atletas.

Para os participantes em duplas que pretendam a contratação de transferes para e a partir destes pontos de transição em cada etapa devem contactar os Operadores Turísticos Oficiais.